sexta-feira, 28 de julho de 2017

Alteração da senha do Facebook

 
  Olá Gunter, A sua senha do Facebook foi alterada em Sexta, 28 de julho de 2017 às 16:08 (UTC-03).  Sistema operacional: Mac OS X Navegador: Chrome Endereço IP: 179.187.74.86 Localização estimada: Porto Alegre, RIO GRANDE DO SUL, BR Se você fez isso, você pode desconsiderar este e-mail com segurança. Se você não fez isso, proteja a sua conta . Obrigada, Equipe de segurança do Facebook    
   
 
   Facebook
 
   
   
 
Olá Gunter,
A sua senha do Facebook foi alterada em Sexta, 28 de julho de 2017 às 16:08 (UTC-03). 
Sistema operacional: Mac OS X
Navegador: Chrome
Endereço IP: 179.187.74.86
Localização estimada: Porto Alegre, RIO GRANDE DO SUL, BR
Se você fez isso, você pode desconsiderar este e-mail com segurança.
Se você não fez isso, proteja a sua conta.
Obrigada,
Equipe de segurança do Facebook
 
 
   
   
 
Essa mensagem foi enviada para gunterfilho.gunterfilho@blogger.com. Se você não deseja receber esses emails do Facebook no futuro, cancele o recebimento.
Facebook, Inc., Attention: Community Support, 1 Hacker Way, Menlo Park, CA 94025
   
 

quarta-feira, 14 de março de 2012

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô

facebook
1 pessoa curtiu isso

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô


Olá,

La Rouge Bistrô está convidando você para participar do Facebook.

Uma vez que estiver participando, você será conectado com a página La Rouge Bistrô, juntamente com as pessoas e outras coisas que lhe interessam.

Atenciosamente,
La Rouge Bistrô

Para se cadastrar no Facebook, clique no link abaixo:

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô

facebook
0 pessoas curtem isso

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô


Olá,

La Rouge Bistrô está convidando você para participar do Facebook.

Uma vez que estiver participando, você será conectado com a página La Rouge Bistrô, juntamente com as pessoas e outras coisas que lhe interessam.

Atenciosamente,
La Rouge Bistrô

Para se cadastrar no Facebook, clique no link abaixo:

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô

facebook
0 pessoas curtem isso

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô


Olá,

La Rouge Bistrô está convidando você para participar do Facebook.

Uma vez que estiver participando, você será conectado com a página La Rouge Bistrô, juntamente com as pessoas e outras coisas que lhe interessam.

Atenciosamente,
La Rouge Bistrô

Para se cadastrar no Facebook, clique no link abaixo:

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô

facebook
0 pessoas curtem isso

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô


Olá,

La Rouge Bistrô está convidando você para participar do Facebook.

Uma vez que estiver participando, você será conectado com a página La Rouge Bistrô, juntamente com as pessoas e outras coisas que lhe interessam.

Atenciosamente,
La Rouge Bistrô

Para se cadastrar no Facebook, clique no link abaixo:

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô

facebook
0 pessoas curtem isso

Dê uma olhada em La Rouge Bistrô


Olá,

La Rouge Bistrô está convidando você para participar do Facebook.

Uma vez que estiver participando, você será conectado com a página La Rouge Bistrô, juntamente com as pessoas e outras coisas que lhe interessam.

Atenciosamente,
La Rouge Bistrô

Para se cadastrar no Facebook, clique no link abaixo:

domingo, 23 de janeiro de 2011

Paciência...




Por algum motivo os baleeiros resolveram entrar em uma tempestade cujo tamanho é maior que a Austrália. Talvez por ingenuidade, achando que nós iriamos deixar de segui-los. Na verdade, pelo menos metade da tripulação aguardava com ansiedade o momento de encarar as famosas tormentas dos mares-do-sul.

Eu particularmente acho as tempestades fascinantes. Adoro ver a proa do navio escalar as montanhas de água e, de repente, despencar em queda livre até encontrar resistência novamente e espirrar um leque gigante de água para todos os lados. Uma montanha-russa natural. As ondas de doze metros, os ventos de 120 km/h, as nuvens tempestuosas. Tudo muito excitante...pelo menos nos primeiros dias. Depois de algumas noites mal dormidas com navio trepidando e chacoalhando para todos os lados, confesso que a tempestade acaba perdendo um pouco a sua atratividade.

A rotina do navio também acabou se tornando bastante cansativa desde que entramos nessa área de tempestades. Por mais que a nossa mera presença esteja fazendo o navio tanque e dois arpoadores se afastarem cada vez mais do Santuário de Baleias da Antártida, o fato de a tripulação estar praticamente confinada dentro do navio acaba sendo um teste para a sanidade mental de cada um de nós.

A comida também acaba sendo um fator limitante, depois de 30 dias em alto mar é pouca a variedade de alimentos frescos. Eu, por exemplo, daria um braço por uma manga fresca...

Aqui na Antártida o tempo que tende a fluir mais lentamente a cada dia. A paciência e a estabilidade estão sendo fundamentais nesse momento da campanha contra a caça às baleias na Antártida.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Brasucas em ação

Foto: cortesia de Bárbara Veiga


Cinco ativistas brasileiros estão à bordo do navio Steve Irwin, combatendo os baleeiros japoneses nos mares ao redor da Antártida. É a primeira vez na história da Sea Shepherd que tantos brasileiros marcaram presença nas campanhas hardcore da organização.
Da esquerda para a direita, Luis (Porto Alegre), George (Sampa), Capitão Paul Watson, Gunter (Porto Alegre), Roberta (Porto Alegre) e Bárbara (Carioca).

sábado, 15 de janeiro de 2011

Vai faltar gasolina para os baleeiros



Foto: Cortesia de Bárbara Veiga

Há 16 dias estamos perseguindo os baleeiros e, ao que tudo indica, nenhuma baleia foi morta. Desde o dia 31 de dezembro os navios Steve Irwin e Bob Barker estão grudados nos navios arpoadores. E vice-versa.

Isso é bom porque temos certeza que os arpoadores não estão caçando, mas também limita o nosso potencial de encontrar o navio-fábrica, o Nisshin Maru, tendo em vista que os arpoadores estão constantemente informando ele sobre a nossa localização. Com isso, a caça aos baleeiros estava se transformando em um verdadeiro jogo de xadrez.

Estudando nossas possíveis estratégias, acabamos descobrindo que o Yushin Maru 2, que estava seguindo o Bob Barker, estava alto em relação ao nível d’água, o que significa que estava com pouco combustível. Mais tarde, em uma manobra muito sutil dos japoneses, percebemos que o Yushin Maru 1 trocou de lugar com o Yushin Maru 2, e este, por sua vez, desapareceu. O motivo da troca era óbvio, o Yushin Maru 2 precisava reabastecer.

Lançamos o helicóptero para fazer uma busca ao Yushin 2 que havia desaparecido e encontramos o navio de reabastecimento da frota baleeira, o Sun Laurel. Na noite do dia 12, nosso interceptador Gojira estava na cola do navio-tanque. Durante a madrugada do dia 13 nós do Steve Irwin estávamos grudados nele e, no final da tarde, o Bob Barker chegou. Uma grande festa em família.

Encontramos o navio-tanque Sun Laurel ao sul do paralelo 60. Isso significa que, além de caçarem criminosamente animais em extinção, os baleeiros estão violando as regras do Tratado da Antártida que impedem o reabastecimento em mar aberto abaixo dos 60 graus de latitude. Ordenamos ao Sun Laurel que se retirasse do Santuário Antártico, e eles obedientemente acataram.

Até o momento, o navio-fábrica Nisshin Maru conseguiu se manter afastado dos navios da Sea Shepherd através das informações que os dois arpoadores estão fornecendo. Agora que estamos colados no navio de reabastecimento as coisas mudam de figura. O Nisshin Maru, mais cedo ou mais tarde, vai precisar reabastecer. E nós estaremos de prontidão para impedir que isso aconteça.

Vai faltar gasolina para a frota baleeira japonesa.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O que leva alguém a se transformar em um ativista?

Aqui começa uma série de textos onde pretendo responder a essa pergunta, que tanto intriga amigos, familiares, conhecidos, e desconhecidos também.

De vários fatores, creio que o mais importante para desencadear a metamorfose de um pacato cidadão em um ativista é a maneira com que ele se relaciona com a informação.

O autor canadense Farley Mowat menciona no prefácio do livro Ocean Warrior, escrito pelo capitão Paul Watson, que jamais a informação foi tão acessível na história da humanidade, e que aqueles que se permitem ao luxo de se manterem alheios à realideade o fazem como escolha pessoal. Portanto, carregam a culpa pelo impacto que essa escolha tem no desenvolvimento da humanidade.

Existem três padrões principais de relacionamento com o mundo das informações que são bastante característicos. As informações podem ser filtradas, conscientemente ou não, e só aquelas que são convenientes e confortáveis acabam por fazer parte da realidade do indivíduo. As informações também podem ser armazenadas para satisfazer necessidades intelectuais, motivadas por curiosidade, vaidade, status, etc. Por último, as informações podem ser absorvidas de uma forma mais visceral e urgem uma manifestação do indivíduo.

Invejo muito as pessoas que se caracterizam pelo primeiro padrão, são os meus preferidos. O estereótipo brasileiro. Pessoas simples, precisam de pouco para serem felizes.

Os intelectuais são pessoas interessantes, sofisticadas, cheias de novidades, desafiadoras. Pessoas com quem vale a pena investir uma tarde de sábado.

Já os últimos, não se satisfazem em ser meros espectadores da história, e são incapazes de reagir com neutralidade ao conhecimento que detêm. Com a mesma intensidade que admiram as belezas do mundo e as virtudes da humanidade, combatem a destruição e as injustiças denunciadas diariamente nas páginas dos jornais. São apaixonados pela vida, pelo mundo, pelos outros. Esses são os ativistas.